Gustavo Kuerten

Tenista

Em 1997, um tenista brasileiro surpreendia o mundo ao conquistar a vitória em Roland Garros, o Grand Slam francês. O fato inédito se repetiria mais duas vezes. Guga voltou a levantar o troféu no Aberto da França, em 2000 e 2001, se tornando tricampeão em Roland Garros. o longo de treze anos de sua trajetória no tênis, Guga conquistou 20 títulos em simples e entrou para a história ao se tornar, em 2000, o número 1 no tênis mundial, após vencer no Master de Lisboa, duas lendas americanas: Pete Sampras e Andre Agassi.   

Gustavo Kuerten se retirou do circuito profissional do tênis em 2008, foi sua turnê de despedida. Em Roland Garros, foi homenageado pela Federação Francesa de Tênis e foi presenteado com um troféu que simboliza a quadra central do Grand Slam francês. Dois anos depois Guga recebeu, em Paris, o troféu Philippe Chatrier por suas conquistas dentro e fora das quadras, em função do trabalho social realizado pelo IGK, entidade que atua em Santa Catarina, com o objetivo de garantir a inclusão social para crianças, adolescentes e pessoas com deficiência. 

Guga é reconhecido por um gesto emblemático na final que lhe rendeu o tricampeonato em Roland Garros. Em 2001, ele desenhou um coração no saibro com a raquete e se deitou, simbolizando seu agradecimento à torcida.  Sua trajetória no tênis fez com que o nome de Gustavo Kuerten fosse eternizado  no Hall da Fama do Tênis Internacional, em 2012, como o único tenista brasileiro (masculino) a entrar para a galeria dos imortais no esporte que o consagrou.  

Em 2016, Gustavo Kuerten surpreendeu o mundo ao entrar no Maracanã carregando a tocha olímpica, durante a abertura da Rio-2016. Em 2017, Guga foi nomeado Embaixador de Roland Garros, numa homenagem inédita da Federação Francesa de Tênis. 

Outros palestrantes